Wednesday, July 27, 2005

O I é pouco, o II é bom, o III é de mais, e o IV é excelente.

Que o Led Zeppelin é uma das maiores bandas de todos os tempos, todo mundo sabe. Que o disco IV, (que na verdade não tem nome, mas como veio depois do Led Zeppelin I, II e III ele acabou ficando conhecido por este nome) é um dos melhores de todos os tempos, também não é novidade. Sendo assim não será necessário falar das músicas: Black Dog, Rock and Roll, Battle of evermore, Stairway to Heaven e Going to Califórnia; pois tudo o que precisava ser dito sobre estas músicas já foi escrito e falado várias vezes! Mas então sobre o que é este artigo? Calma, eu respondo. Contarei como a banda foi formadae falarei de 3 músicas do lado B do disco (sim, o meu é em vinil!) que são excelentes, mas que acabaram obscurecidas pelas outras músicas. Então, comecemos pelo nascimento da banda.
Era uma vez, uma banda de Blues-Pop (lançavam singles pop, mas nos shows incluíam blues desconhecidos da maioria do público) chamada The Yardbyrds, que não era muito grande, mas fazia vários shows na terra da rainha. Esta banda teve inúmeras formações, sendo que a mais impressionante foi a que contou com Rod Stweart, Ron Wood (atual Rolling Stones, aquele que se parece com o pica-pau!) e Jeff Beck. Em certa altura Jeff Beck deixa a banda e dá lugar a um pequeno rapaz chamado Jimmi Page. Mas os outros integrantes aos poucos vão deixando a banda, deixando Page sozinho e com todos os direitos autorais das músicas (!), e uma turnê por começar com uma agenda repleta de shows.
Page então começa a reformular a banda e chama o baixista John Paul Jones que, por sua vez, mostra a Page uma matéria de jornal sobre Robert Plant – vocalista de uma banda chamada Hobbstwedlle. Plant passa a integrar a banda e ainda convida um grande amigo seu para a bateria: John Bonhm. Page então batiza a banda com o nome The New Yardbyrds.
Durante a turnê, num show em Cardiff (País de Gales) a banda abriu o show do The Who. Keith Moon (lendário baterista do The Who), impressionado com a atuação do The New Yardbyrds, disse que a banda iria voar mais alto que um zepelim de chumbo. O nome pegou e neste momento nascia oficialmente o Led Zeppelin.
Em 1973 a banda lança o disco IV. Outra versão para o nome é o aparecimento, pela primeira vez, dos 4 símbolos no encarte. Não sabe o que representam? Simples, cada um representa um integrante da banda, a saber : a palavra Zofo é o Page; as três elipses e o círculo entrelaçados é o Jones; os três círculos entrelaçados é o Bonham e finalmente a pena dentro do circulo é o Plant.


Agora vamos falar das músicas restantes:
Misty Montain Hop: tem um rif de guitarra memorável que é acompanhado de maneira magistral pelo teclado. Reza a lenda que a bateria foi gravada num fosso de um elevador no prédio do estúdio. Se é verdade eu não sei mas o timbre é bem diferente.
Four Sticks: Bonham se superou tanto que até deram o nome da música em sua homenagem. Sim, ela é tocada com QUATRO baquetas. Como? Uma ela segura da maneira tradicional, a outra ele coloca entre o terceiro e o quarto dedo. Porque? Como elas estão separadas irão provocar dois efeitos distintos: 1) elas nunca chegarão a bateria ao mesmo tempo, assim darão a impressão de duas batidas e não uma; 2) as baquetas se chocarão a cada batida , provocando um terceiro som bem característico. Preciso dizer que o cara foi um gênio?
When The Levee Breaks: é um grande Blues mas que, novamente, o diferencial está na bateria. A levada é totalmente diferente de Blues!! Tocada com uma força incrível, é muito difícil descreve-la, mas a batida não ficaria ruim num Heavy Metal! Escutem e irão entender o que digo.

Para saber mais sobre o Led entrem no site oficial da banda : www.led-zeppelin.com que tem muita informação, mas eu recomendo uma escutada nas gravações raras!!

Friday, July 15, 2005

Aviso Importante!!!!!

Agora eu tenho uma coluna no site spiner cujo endereço é:
http://www.spiner.com.br/colunas/ten_years_after.php
será uma coluna quinzenal!!
eu continuarei colocando meus textos aqui, mas com um pequeno atraso com relação ao site, e fazendo algumas alterações no texto!!
E por último gostaria de agradecer a Ariane por ter me falado sobre o site spiner!!
João

Thursday, July 07, 2005

The Stooges: pisando em flores!!

No meio de 1968 na costa oeste dos EUA estava no seu ápice o verão do amor, em Paris a revolta estudantil e no Brasil o auge da luta contra a ditadura. Era então de se esperar que este tipo de revolta juvenil estivesse ocorrendo no mundo todo, certo? Sim, com exceção do nordeste dos EUA. Em Nova York tínhamos o Velvet Underground de Andy Warhol e os malucos do fab. 51, que as únicas coisas das quais não falavam eram política, paz e amor. Em Detroit, além do já citado MC5, existia os Stooges.
Mas porque o disco homônimo e primeiro da banda é importante? Porque além de bom ele marca o nascimento do movimento Punk, ( é claro que um fato histórico não se deve a um único acontecimento, mas este é, co certeza, um dos mais importantes), e também é o disco de estréia de um dos maiores ícones do Rock: Iggy Pop (na época conhecido como Iggy Stooge!).
O disco começa com a música 1969, que é uma canção que reflete o sentimento dos jovens daquela parte do mundo: ... “It´s another year/ for me and you/ another year whith nothing to do” (é outro ano para mim e para você, outro ano sem nada para fazer). Joey Ramone ( vocalista dos Ramones) uma vez disse “Nós (os Ramones) éramos quatro garotos sem nada para fazer , que ficavam vagando por NY cheirando cola e ouvindo Rock dos anos 50.”. Bem parecido com a temática de 1969.
Aliás o ócio é o tema também de No fun. Mas e o resto do disco, do que fala? Como o líder da banda era Iggy Pop a resposta é simples: sexo. Desde uma aproximação mais “ingênua” como em Real Cool Time, até uma temática mais “pervertida” e sado- masoquista como em Not Right (que conta a história de um cara que quer fazer “algo” à noite mas a garota que ele conheceu não é apropriada para seu intuito! Interpretem como quiserem!), Ann, Little Doll e I Wanna Be Your Dog ( o título, eu quero ser o seu cachorro, já diz tudo)!
Os Stooges no seu disco de estréia são como os personagens da série que deu nome a banda, The Three Stooges ( Os Três Patetas), violentos. Mas ainda com um tipo de violência meio ingênua, sem o objetivo de sair quebrando tudo o que encontrar pela frente. É o movimento Punk sem a filosofia anarquista! Mas esta violência, ao contrário da série, vai crescer ao longo do tempo, e juntamente com todo o ódio e a raiva pelo sistema em vigor (seja ele político, moral ou cultural) serão os ingredientes básicos que, quase uma década depois do lançamento deste disco, culminará no auge do movimento Punk mo mundo todo!
Claro que a dica desta vez só poderia ser a série Os Três Patetas, que ainda passa na TV.